Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras de Areia ®

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã. Poemas meus e desabafos de amor e de vida.

Palavras de Areia ®

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã. Poemas meus e desabafos de amor e de vida.

06.05.21

Castro Laboreiro

Encanto castrejo

Maresia
Encanto castrejo, tão verde, ponteado a amarelo e roxo. Palete verdejante, pintada em tela de pedra, granito sangrado. Serras vestidas, tão belas, que nas suas cascatas e fontes cantam felizes.  A envolvência é imensa, avassaladoramente bela, e também nossos olhos sangram pela beleza, a cantar como as sua águas sonoras e límpidas. Tomado o castelo, fortaleza caída, perdida, mas tão segura no seu altivo domínio, guardando a Peneda, como que, hoje, protegendo as flores, a urze e (...)
02.05.21

Raízes de mim

Ser mãe

Maresia
Como se fosse flor regada, A chuva de afeto e raios de sol, Meu corpo se agigantou, Acompanhou o coração. No ventre carregava tesouros, Que palpitavam dentro de mim, Uma tão doce emoção, Tão mágico era o pulsar, De vos sentir crescer assim. Maternidade encantada, Na espera de vos conhecer. Da voz brotavam canções, Da caneta histórias de amor. Nos olhos brilhava a gratidão. Do peito rojava leite e afeição, Ao primeiro olhar, a adoração. E já no meu colo (que saudades), Conte (...)
28.04.21

No escuro

Maresia
Na escuridão, tremi perante o medo. A ventania rasgou-me a pele, Bramiu verdades, Descobriu as ilusões, Mergulhou-me em sombras. Esventrou os sonhos, Escorreram-me pelo rosto, Salgados. Abracei o vazio, Caí rendida. Perdida.  
19.04.21

Castelo de Beja

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Maresia
Cidade de Beja, tua Rainha, Que coroas de pedra ao luar Com tua menagem nobre e altiva, És Seu Castelo, símbolo maior. Por ela travaste tantas lutas... Sempre atento e protetor. Hoje, Cavaleiro tão antigo, Menos forte e destemido, Mas com o mesmo esplendor. Sempre de vigia, como outrora, Ao teu povo, teu ouro, tuas conquistas, Até onde a planície se avista... Convidas quem de longe te espreita, Que venha teus domínios abraçar, Contigo brindar à História, E lembrar que Nobreza é amar (...)
01.04.21

A festa

Maresia
Brotaram flores do meu coração, Faíscaram em meus olhos As luzes, as cores, as paixões. Trespassaram-me os encantamentos Das fadas, de mãos em roda, Rodopiando comigo em palco de flores, De folhas, quebrando sonoras, descalças O piso seco magistral do caminho, Que tomara como onírico rumo De festa, de quem vestiu de gala A gratidão de viver os dias, Que a vida oferece sorrindo, servidos Em copo de barro, cravado a pedrinhas, A conchas, a brilhantes d'agua da chuva Pura, (...)
28.03.21

Ao mar

Maresia
Nos meus passos descalços, molhados, Vestida de frescura, maresia, Desafio as tuas ondas, quebradas, Inspiro o teu cheiro, bravura, No abismo dos pensamentos, mergulho, Danço a tua música, ritmada, Viola de cordas de água, encantada. Enamorada de ti, sou praia, Vieira do mar, nas tuas marés, Movimento o meu mundo, salgado, Ondulo nas vagas, esquecida... E marejada, avanço pelas águas, Tocada pela espuma, macia, Dissolvida no azul, esverdeado, E meu corpo a ti, entrego. Aí, (...)
28.03.21

Ao mar

Maresia
Nos meus passos descalços, molhados, Vestida de frescura, maresia, Desafio as tuas ondas, quebradas, Inspiro o teu cheiro, bravura, No abismo dos pensamentos, mergulho, Danço a tua música, ritmada, Viola de cordas de água, encantada. Enamorada de ti, sou praia, Vieira do mar, nas tuas marés, Movimento o meu mundo, salgado, Ondulo nas vagas, esquecida... E marejada, avanço pelas águas, Tocada pela espuma, macia, Dissolvida no azul, esverdeado, E meu corpo a ti, entrego. Aí, (...)
28.03.21

Nas asas da vida

Maresia
Abre as asas, voa! Corta o vento, os céus, Rumo ao horizonte... Abraça este mundo, Avista toda a beleza Na leveza livre do teu voo. Abre as asas, sonha! Encara o sol, as nuvens, Desafia a penumbra... Canta, encanta, a natureza, Plana alado ao infinito No instinto livre do teu voo. Abre as asas, vive!  
11.03.21

D'Arco e flecha

Maresia
Sobe ao alto dos teus sonhos, Apronta o teu arco de vida, Firma o teu corpo na coragem. Na ponta da flecha, a esperança. Foca-te na mira distante que brilha Nas cores deslumbrantes e eternas dos dias. Atenta. Não hesites, não duvides. Nunca. E faz voar certeira essa paixão! Imagem: khriess photography
10.03.21

Nas asas

Maresia
O vento trouxera-lhe a mensagem naquele dia. Fora ele que despertara as portadas da janela e estas, sonoras, a despertaram a ela, arrancando-a de um sonho matinal, de um qualquer mundo paralelo de encontros desejados, temidos ou, simplesmente, imprevistos. Rebolou na cama, sorriu e sentou-se. Estremunhada, despenteada, feliz. Hoje, levantar-se-á nua, não só de roupa, mas de ontens. Quando colar os pés no chão frio e real, os seus passos serão os primeiros de novos dias, como uma (...)
08.03.21

Muito mulher

Dia Internacional da Mulher

Maresia
Sou mulher, muito mulher. Mulher feita, quebrada, refeita. Nascida, crescida, vivida, sabida. Sou mulher, muito mulher. Mulher filha, mulher mãe, mulher. Amor crescente no peito, Amor crescente no ventre, Amor que explode das minhas mãos E te ofereço, te embala e te abraça. Sou o regaço que recebe a semente, Sou o ninho que te acolhe no meu peito, Sou gigante, quando te enlaço e protejo. Sou as asas do teu voo, quando te deixo. Sou mulher, muito mulher. Mulher dos mil ofícios, afoita. (...)
06.03.21

Em nome da Terra

A mágica transcendência da (minha) escrita

Maresia
Escrevo como quem invoca os elementos da Natureza, como quem inspira profundamente a Terra. Na busca de um sol, que me ilumine e aqueça o peito e as ideias, ofuscada pela beleza do que vê o meu coração e pelo brilho dos meus olhos soletrados em lágrimas de luz. Um fogo que me queime de sentires, alma e corpo incendiados. Na busca de um vento, que me leve daqui, para lá da linha do horizonte, rodopiando numa dança de correntes, de sopros inspiradores, que me trespassem de vidas. Um (...)