Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

20.03.19

Vencer o cansaço: respirar, equilibrar e relaxar

Maresia
Na impossibilidade de encurtarmos as semanas e as horas diárias de trabalho e atividade, fica difícil equilibrar o bem estar e, muitas vezes, o bom senso. Sentimo-nos formigas tarefeiras, a correr atrás do tempo, a correr atrás de objetivos, a correr para alcançar mais uma "prova superada". E nos dias de hoje, deixem-me que vos diga, que isto são provas atrás de provas, dignas de uns verdadeiros jogos sem fronteiras para o descanso. Vivemos a vida ou um desafio às nossas (...)
19.03.19

Saudades, pais!

Maresia
Os pais, tive dois. Tive colo e abraços, mas não houve tempo para mais amassos. Nem mais beijos e laços, nem para birras e brigas, nem para que vos diga: - Gosto de ti, pai! Dos dois, sem intriga.   De vós guardo o sorriso, a figura de gigantes, de quem era menina. Que vos via, heróis de valentia, levada na vossa guarida de carinho e de mestria.
14.02.19

Sem Valentim

Maresia
Amaram-se sem perceber. Na indiferença, No olhar por trocar,  Nas palavras vagas. Já se traziam de outras vidas. Encontravam-se sem perceber. No pôr do sol,  No luar, Nos pensamentos. Olhavam o mesmo céu estrelado...  Perderam-se sem perceber.  Nos medos, Nas luzes artificiais,  Noutros amores. Soubessem eles a verdade.  E morreriam no beijo,  Se queimariam na pele, Entregariam as almas.
10.01.19

Insónia

Maresia
Pum! Pum! Pum! Cabeça cheia de tudo. Palpita o coração. Mais uma noite de sombras, Devaneios, estrelas no céu. Tic-tac! Tic-tac! Tic-tac! O tempo é estilhaçado, Entramos noutra dimensão. De hipérboles desfocadas, Exageros até mais não. Shhh! Shhh! Shhh! Até a noite adormeceu. Lá fora, tudo parou. Como calar estes gritos, Que o silêncio ecoou?    
29.12.18

Voltas Felizes!

Maresia
Pode o mundo parar para eu descer? Não queiras. Isso é o fim da viagem. Brilha! Segue nesta Roda Gigante, de sonhos, de danças e contradanças. Disfruta da paisagem sempre a mudar. Do vento e sol no rosto, da chuva e até da trovoada sobre a tua cabeça. A Natureza é magnificente e deve ser o teu maior modelo de vida. Tudo, tudo tem a sua beleza, a sua aprendizagem e assim, vamos crescendo de corpo e acima de tudo d'alma. Não queiras fugir, tudo há de fugir de ti... A Roda não (...)
27.12.18

Memórias

Maresia
Memórias doces de infância, aconchegos de alma que me transportam para a sala da meninice. Fecho os olhos e estou de joelhos na alcatifa, com os meus collants de lã e vestido de fazenda, com o olhar perdido no imenso pinheiro natural de Natal, desejando ser um duende minúsculo, que pudesse saltitar de agulha em agulha, de bola em bola, e perder-me naquela floresta de encantos e luzes. Era hipnotizante e mágico!    
21.11.18

Infinitamente

Maresia
Nasci pássaro para voar, Com os olhos nas nuvens. Tu, nasceste lobo, Sempre sobrevivendo, atento. Pulámos fogueiras diferentes, Seguimos por rios distintos. Razão e coração. Dia e noite que se tocam ao pôr do sol. Entrelaçados em queda livre. Não poderia ser diferente. Eu voo e tu és a força que me segura. O nosso mundo é infinito… que o seja de amor. Parabéns! Muitos anos de amor!
27.10.18

Greve, a que tanto obrigas...

Maresia
Greve, a que tanto obrigas o Estado? Ah! Não! A que tanto obrigas o povo, os portugueses. E sim, para quem ainda não percebeu, nem todos os portugueses são funcionários públicos. A realidade do privado, recibos verdes e conta própria é bem diferente. Todos somos iguais, mas só na biologia, não na democracia. Por exemplo, quando uma escola fecha, são as crianças e as suas famílias os mais prejudicados. E quando se regressa à escola, os programas curriculares são na mesma para (...)