Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

21.10.18

Pelo caminho


Maresia

Miúda! Vai descendo a calçada,
ainda estonteada pelo abraço.
Sorri para as camélias,
acelera o passo,
evita correr e saltar de entusiasmo.
O sol brilha perante tanta alegria.

Mulher! Percorre a rua movimentada,
Atrasada, em passo de corrida.
Indiferente ao mundo,
Perdida nos pensamentos,
Evita sorrir e revelar desejos.
O vento sopra levando o beijo.

Senhora! Vai subindo as escadinhas,
Derrotada por aquele adeus.
Erguendo a sua dor ao céu,
Sufocada por aquele amor,
Evita gritar o aperto que tem no peito.
A chuva lava a alma e as lágrimas.

2018-10-21 10.08.47.jpg

 

 

11.10.18

Desabafo...O mundo é dos loucos


Maresia

O mundo é dos loucos, dos que devaneiam e deslumbram os outros (ditos sensatos) com as suas ideias delirantes.

Que desespero temos em nós, que nos entregamos à ditadura, ao preconceito, à corrupção, às mentiras absurdas e descaradas de seres humanos endeusados pela sua insanidade?

Qual a motivação para estas escolhas?

Talvez, na verdade, todas opções sejam sacos cheios de ganância, mentiras e interesses, vazios de integridade, esperança e de mudança. Talvez, a identificação seja mais forte com a raiva, com o ódio e com as palavras duras que se ouvem.

Mas por maior que seja a minha raiva pelo caminho que tomámos, pela corrupção avassaladora nos vários domínios da sociedade, terei que perceber que aquelas palavras de mudança, de ódio, de exigência, vão levar consigo os mais fracos, os indefesos, os que não procuraram guerra, nem dinheiro, mas sim liberdades e direitos. Os que encheram os sacos de dinheiro e arrogância vão continuar por aí…

Se para eu ser grande (e pior é já o facto de eu querer ser grande) eu tenho de arranjar forma de destruir os outros, deixar o meu ego gigante aniquilá-los com o meu preconceito e ideias tacanhas, que seja! Deixai-me ser um Deus, neste planeta de gente cega, e eu farei a minha escolha seletiva…afinal, já todos sabemos como se faz.

Entreguemos os nossos destinos nas mãos dos loucos e mais tarde, estaremos de novo juntos, de mãos dadas, em memoriais e homenagens hipócritas, por aqueles que se mantiveram lúcidos e corajosos ou simplesmente foram arrastados por estas ondas de desumanidade.    

2018-10-11 17.07.15.jpg