Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

20.03.19

Vencer o cansaço: respirar, equilibrar e relaxar

Maresia
Na impossibilidade de encurtarmos as semanas e as horas diárias de trabalho e atividade, fica difícil equilibrar o bem estar e, muitas vezes, o bom senso. Sentimo-nos formigas tarefeiras, a correr atrás do tempo, a correr atrás de objetivos, a correr para alcançar mais uma "prova superada". E nos dias de hoje, deixem-me que vos diga, que isto são provas atrás de provas, dignas de uns verdadeiros jogos sem fronteiras para o descanso. Vivemos a vida ou um desafio às nossas (...)
19.03.19

Saudades, pais!

Maresia
Os pais, tive dois. Tive colo e abraços, mas não houve tempo para mais amassos. Nem mais beijos e laços, nem para birras e brigas, nem para que vos diga: - Gosto de ti, pai! Dos dois, sem intriga.   De vós guardo o sorriso, a figura de gigantes, de quem era menina. Que vos via, heróis de valentia, levada na vossa guarida de carinho e de mestria.
14.02.19

Sem Valentim

Maresia
Amaram-se sem perceber. Na indiferença, No olhar por trocar,  Nas palavras vagas. Já se traziam de outras vidas. Encontravam-se sem perceber. No pôr do sol,  No luar, Nos pensamentos. Olhavam o mesmo céu estrelado...  Perderam-se sem perceber.  Nos medos, Nas luzes artificiais,  Noutros amores. Soubessem eles a verdade.  E morreriam no beijo,  Se queimariam na pele, Entregariam as almas.  
10.01.19

Insónia

Maresia
Pum! Pum! Pum! Cabeça cheia de tudo. Palpita o coração. Mais uma noite de sombras, Devaneios, estrelas no céu. Tic-tac! Tic-tac! Tic-tac! O tempo é estilhaçado, Entramos noutra dimensão. De hipérboles desfocadas, Exageros até mais não. Shhh! Shhh! Shhh! Até a noite adormeceu. Lá fora, tudo parou. Como calar estes gritos, Que o silêncio ecoou?    
21.11.18

Infinitamente

Maresia
Nasci pássaro para voar, Com os olhos nas nuvens. Tu, nasceste lobo, Sempre sobrevivendo, atento. Pulámos fogueiras diferentes, Seguimos por rios distintos. Razão e coração. Dia e noite que se tocam ao pôr do sol. Entrelaçados em queda livre. Não poderia ser diferente. Eu voo e tu és a força que me segura. O nosso mundo é infinito… que o seja de amor. Parabéns! Muitos anos de amor!
27.10.18

Greve, a que tanto obrigas...

Maresia
Greve, a que tanto obrigas o Estado? Ah! Não! A que tanto obrigas o povo, os portugueses. E sim, para quem ainda não percebeu, nem todos os portugueses são funcionários públicos. A realidade do privado, recibos verdes e conta própria é bem diferente. Todos somos iguais, mas só na biologia, não na democracia. Por exemplo, quando uma escola fecha, são as crianças e as suas famílias os mais prejudicados. E quando se regressa à escola, os programas curriculares são na mesma para (...)
21.10.18

Pelo caminho

Maresia
Miúda! Vai descendo a calçada, ainda estonteada pelo abraço. Sorri para as camélias, acelera o passo, evita correr e saltar de entusiasmo. O sol brilha perante tanta alegria. Mulher! Percorre a rua movimentada, Atrasada, em passo de corrida. Indiferente ao mundo, Perdida nos pensamentos, Evita sorrir e revelar desejos. O vento sopra levando o beijo. Senhora! Vai subindo as escadinhas, Derrotada por aquele adeus. Erguendo a sua dor ao céu, Sufocada por aquele amor, (...)
11.10.18

Desabafo...O mundo é dos loucos

Maresia
O mundo é dos loucos, dos que devaneiam e deslumbram os outros (ditos sensatos) com as suas ideias delirantes. Que desespero temos em nós, que nos entregamos à ditadura, ao preconceito, à corrupção, às mentiras absurdas e descaradas de seres humanos endeusados pela sua insanidade? Qual a motivação para estas escolhas? Talvez, na verdade, todas opções sejam sacos cheios de ganância, mentiras e interesses, vazios de integridade, esperança e de mudança. Talvez, a identificação (...)
28.09.18

Sempre

Maresia
Já te sentia, no corpo e no coração. No coração apertado e agitado. Agitado com a tua chegada. Chegada desejada, de te ter no colo. No colo onde te prendi e me apaixonei. Apaixonei-me pelo cheiro e alma. Alma doce que me acalma. Acalma e me ensina a ser mais. Mais mãe, mais forte, mais tudo. Tudo de bom, para ti! Sempre!   Mãe      
24.09.18

(Re)escreve-te!

Maresia
Estás a olhar para onde? Para a loucura que há em mim? Sabes, também caberia em ti. Não gostas do que digo, nem tão pouco do que sou. Então, não me olhes tanto, Não me saibas desta maneira, Não venhas viver aqui. Deixa-te ficar com o que é teu. Vira-me as costas, borrifa-te para o que faço. Não espreites à minha janela, vai ver-te em vidro espelhado. Não me dês tanta importância, Se te causo tanta estranheza. Que desconforto o teu... Sabes, a vida é cheia de tudo e, (...)
07.09.18

Vitaminas contra as rotinas

Maresia
Há pouco tempo de regresso ao trabalho e as baterias já estão fracas ou então, o motor está com falta de arranque! O truque é tomar vitaminas, daquelas que ingerimos nas férias. A começar por tentar sorrir logo pela manhã e fazê-lo ao longo do dia. Tudo se torna mais leve e colorido. Pessimismo é o caminho perfeito para o desastre e para desaires. E não deixar de fazer coisas que nos são agradáveis. Os passeios na praia, as caminhadas (noturnas, se tiverem de ser), sentar a (...)
27.08.18

(Estou) Fora de Jogo

Maresia
Deixa a bola rolar, O teu clube jogar, O jogo explodir. Mas deixa-me fora disso. Não entendo esse amor, Tão pouco essa fúria. São as faltas, são os frangos, Tanto contestação e paixão. Tanto pulo e frustração. Tanto Sr. Árbitro, o ladrão. Deixa que as águias se depenem, Que os leões rujam, Que os dragões queimem tudo. Mas deixa-me fora disso. Não entendo isso tudo, Tão cheio de nadas. São os melhores, são os piores. Tanta emoção e desilusão. Tanto rescaldo e resumo. (...)