Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

03.09.19

Contos d'amor

Silêncios

Maresia
A rua estava escura, silenciosa, como se o tempo tivesse parado. Achava-se sozinha, com as lágrimas a correrem-lhe pelo rosto, as mãos cerradas e os olhos postos no imenso céu estrelado, quando sentiu que alguém se aproximara. Arrepiou-se, hesitou em girar o corpo, envergonhada pelo choro, sem saber como disfarçar. O vulto avançou e colocou-se a sorrir à sua frente. Mantiveram-se em silêncio, naquilo que pareceu uma eternidade, até que se soltou um olá rouco, se esboçou um (...)
30.08.19

A meio do caminho...

A minha tatuagem

Maresia
Respirei coragem, enchi o peito de amor e lá fui eu impregnar em mim sentimentos e sonhos na pele. E não podia deixar de ser o meu artista de coração preferido a representar os meus estados de alma. E magicamente, os seus dedos desenharam com a simplicidade dos meus olhos... Queria estrelas, porque é sempre a elas que me confesso e é ao céu estrelado que peço ajuda de cabeça erguida, mesmo quando derrotada. Gosto de acreditar que os que partiram habitam nas constelações e me (...)
29.08.19

Lado a lado

Maresia
Um ano, dez meses e vinte e sete dias nos separam. Certamente, não te recordarás da tua vida sem mim. Infância a nossa, de verdadeira irmandade, cumplicidade e de seguir em frente de mãos dadas. Mais para meu amparo e doutrina. Através dos teus olhos descobria o mundo e seguia os teus passos como lapa curiosa, chata e desvairada. Desculpa a tormenta perante as vontades e desaires desta irmã mais nova. Crescíamos num mundo só nosso, lado a lado. Diziam-nos gémeas, mais pela (...)
24.08.19

Vamos à aldeia.

Maresia
Recordo a música do empedrado, o desfile das brancas caiadas, o ladrar dos cães, os anciãos nas escadas de Deus e, por fim, aquelas vozes melodiosas de boas vindas. Era assim, o regresso à pequena aldeia. Aldeia de ecos, de crianças livres, mulheres de negro e homens camuflados. Raízes que me prendiam ali, distantes do meu mundo que ficara bem lá para trás, no fundo da longa estrada. Universo paralelo da minha infância, onde descobria os avós, os tios, os primos. Onde a minha (...)
14.08.19

...

Maresia
No mar salgo a alma, Travo que me beija a boca, Me respira na pele, Me lava impura, me quebra. Na areia descanso, Corpo e pensamentos desnudos. Deixo a brisa levar uns tantos. Inspiro o alento e a paz. Fito o céu de infinito azul, Ofusca-me o sol, Deixo que me aqueça os poros, Me derreta o tino, E me deixe primitiva, estar.      
26.07.19

40 anos depois

Maresia
Se me visses agora, Olhos nos olhos, Se me sorrisses, Certamente, correrias para os meus braços. Que saudades eu tenho de ti! E daqueles que então podias beijar. Não segui a estrada dos teus sonhos, Afinal, nem sempre encontrei campos verdejantes, nem pude visitar todos os castelos. Deixei-me encantar pelas quedas de água, pelas arribas, corri a olhar o nosso céu estrelado... E caí, caí muitas vezes. Levantei-me outras tantas. Os nossos longos dias foram-se (...)
24.07.19

Trago-vos em mim

Maresia
Guardadas em mim fechadas. Flores secas nas páginas de um livro. Perco-vos, a cor e o foco. Rostos esbatidos. Sinto-vos no sorriso e no peito. Fechadas em mim perdidas. A vossa última morada de uma vida. Comigo irão, para as estrelas. Eternas no vazio. Escrevo-vos nas entrelinhas, em mim. Perdidas em mim vividas. Tijolos e argamassa do meu pulso e pensamento. Sem vós, incompleta. Páginas em branco. Puxo-vos da alma para a ponta das letras.  
24.06.19

Ser verão

Maresia
O verão chegou, meio disfarçado, de chapéu e casaquinho, mais esbatido e sombrio. Poder-se-ia dizer que é da idade, que já não tem o espírito soalheiro de outros tempos, que já lá vai o tempo em que se aguentava na rua dias inteiros. Porventura, não será culpa sua, será nossa... Mas com ele continuam a vir os dias mais longos, tic-tacs demorados das tardes quentes, das férias. As crianças brincam na rua, controem castelos de areia, os crescidos correm para as esplanadas, é (...)
05.05.19

O dia em que o meu coração voou

Maresia
O meu coração ganhou asas. Voa por aí com três estarolas. Acompanha-os sempre! Sobrevoando as suas cabeças, soprando-lhes beijos doces. Ser mãe é isto, descobrir uma outra dimensão. É não mais estar só, não mais ter a cabeça vazia, não mais ter todo o tempo do mundo. É dar-se em nós uma explosão de amor, que não cabe em nós. É olharmos dentro dos olhos do nosso filho e vermo-nos a nós próprias. É ser rica, muito rica. É para sempre amar e sei que para sempre amada. (...)