Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

Palavras de Areia

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã.

18.10.19

Enraizado

in Somos Mais do que Histórias - Desabafos de Amor, Cordel d´Prata

Maresia
Olhei-te sem te ver. Senti-te em mim. O teu esboço gravou-se na minha tela, Que espreito e me espreita aqui e ali. És árvore que abracei, na qual me sento. Respiro, gozo a sombra e a luz, Mas que não ouso subir, com receio, Do deslumbre da tua copa, do mundo que vislumbras no topo. Desejo percorrer-me em ti, Ser raiz que te prende em mim, Mas não ouso. Assim, vou aperfeiçoando o teu retrato, Enamorando-me pelos teus traços, Criando momentos imaginados, Em que te percorro, te cheiro. (...)
14.08.19

...

Maresia
No mar salgo a alma, Travo que me beija a boca, Me respira na pele, Me lava impura, me quebra. Na areia descanso, Corpo e pensamentos desnudos. Deixo a brisa levar uns tantos. Inspiro o alento e a paz. Fito o céu de infinito azul, Ofusca-me o sol, Deixo que me aqueça os poros, Me derreta o tino, E me deixe primitiva, estar.      
24.07.19

Trago-vos em mim

Maresia
Guardadas em mim fechadas. Flores secas nas páginas de um livro. Perco-vos, a cor e o foco. Rostos esbatidos. Sinto-vos no sorriso e no peito. Fechadas em mim perdidas. A vossa última morada de uma vida. Comigo irão, para as estrelas. Eternas no vazio. Escrevo-vos nas entrelinhas, em mim. Perdidas em mim vividas. Tijolos e argamassa do meu pulso e pensamento. Sem vós, incompleta. Páginas em branco. Puxo-vos da alma para a ponta das letras.  
14.02.19

Sem Valentim

Maresia
Amaram-se sem perceber. Na indiferença, No olhar por trocar,  Nas palavras vagas. Já se traziam de outras vidas. Encontravam-se sem perceber. No pôr do sol,  No luar, Nos pensamentos. Olhavam o mesmo céu estrelado...  Perderam-se sem perceber.  Nos medos, Nas luzes artificiais,  Noutros amores. Soubessem eles a verdade.  E morreriam no beijo,  Se queimariam na pele, Entregariam as almas.
21.10.18

Pelo caminho

Maresia
Miúda! Vai descendo a calçada, ainda estonteada pelo abraço. Sorri para as camélias, acelera o passo, evita correr e saltar de entusiasmo. O sol brilha perante tanta alegria. Mulher! Percorre a rua movimentada, Atrasada, em passo de corrida. Indiferente ao mundo, Perdida nos pensamentos, Evita sorrir e revelar desejos. O vento sopra levando o beijo. Senhora! Vai subindo as escadinhas, Derrotada por aquele adeus. Erguendo a sua dor ao céu, Sufocada por aquele amor, (...)
30.06.18

Bom dia, Sol

Maresia
O sol pediu à nuvem Licença para passar. A nuvem desajeitada, Levou tempo a desviar. Luísa, ali fechada, Sem o sol para a brindar, Sem os seus raios de luz, Ficou no escuro a chorar. Mas a nuvem vagarosa, Com o vento a ajudar, Deixou o sol esgueirar-se E pôr o quarto a brilhar. Luísa, bateu as palmas. Deu os bons dias a gritar. Saudou cada recanto. Quem lhe dera dançar! O seu quarto é o seu mundo, Seu sorriso a energia solar. Com chuva faz curto circuito, (...)
21.03.18

Poesia

Maresia
Canto da alma, sussuro melodioso, dança de palavras, rodopio de borboletas. Hipérbole, metáfora. Perífrase, eufemismo. Aconchego de sentimentos, Casa de sonhos, de vida.   Mundo mágico só meu, Que partilho contigo.   Dia mundial da Poesia - 21 de março
12.03.18

Poema da chuva

Maresia
Há dias de aperto no peito, de lágrima fácil, Dias cinzentos, de nuvens pesadas. Dias em que as portas de fuga se fecham, De claustrofobia e correntes.   Poemas de chuva, Canções de sombras, Assobios de vento. De olhos fechados, Respiro fundo…   Há dias de vento, de calafrios, Dias demorados, que nos colam ao chão. Dias em que não quero ouvir ninguém, De sossego e quebranto.   Poemas de chuva, Canções de sombras, Assobios de vento. De olhos fechados, Res (...)