Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras de Areia ®

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã. Poemas meus e desabafos de amor e de vida.

Palavras de Areia ®

Partilha de sentires, emoções, aferições, estados de alma e coisas banais. Pequenas histórias de ontem, de hoje e que se sonham para o amanhã. Poemas meus e desabafos de amor e de vida.

25.07.21

Viver com dom a Vida

Maresia
Viver! Sentir a vida a pulsar em nós! O nosso mundo é um reino encantado, a vida a magia e cabe a cada um de nós procurar a nossa felicidade a cada aurora que nos é dada. Não viva somente de esperança, que ao poente vira desalento, sentado no beiral da vida a ver os dias correrem desatinados, desalinhados dos sonhos, desafinados do bater do coração, ... Saia à rua dos dias, levante a cabeça, abra os olhos e o peito às oportunidades, percorra os caminhos, os mais tortuosos e (...)
17.05.21

A Margarida da Vida

Amarga ri da Vida

Maresia
Na fina promessa da vida, Carrego nas folhas a esperança, Florida de pétalas de amor, Orvalhadas pelos beijos guardados. E ao raiar das horas perdidas, Deixo meu Sol me despir, Seus raios me aquecer, Mostrando ao vento quem dança, Provando à nuvem que passa, Que mesmo preso meu caule, Meu perfume navega na brisa, Percorre os céus em corrida Em busca daquilo que sonho. Imagem Pinterest: stephan_x86
07.02.21

Diário da floresta

Maresia
Contei o meu segredo às folhas, Segredei-lhes os medos, Gritei-lhes as alegrias. Folhas, folhas, folhas! Donas dos bosques, caminhos e margens, Sabei vós que aqui sou eterna. Mais uma de vós, que serpenteia ao vento, Que escuta nos poros esta melodiosa vida... O coro das árvores, dos riachos, dos bichos. Folhas, folhas, folhas! Recebei o meu poema de Vida, O meu presente dos céus. A minha árvore, Meus ramos, meus versos, Meu canto, Viver. Águas, águas, águas! Levai as mágoas, Min (...)
31.01.21

Conto d'Amor

As últimas badaladas

Maresia
A igreja anunciava as findas horas da noite. Há 30 anos que assim era. As badaladas a soarem como a voz de uma mãe que anuncia que é tempo de levantar e hora do descanso. Em casa, os seus dias eram ritmados por elas, sem nunca perderem o fio ao tempo ou então, como acontecia nos domingos preguiçosos, despertavam para a demora nos lençóis, quando enroscados um no outro contavam em uníssono silêncio as batidas no ferro, para descobrirem que tardaram no ninho, no amor. Artur e Inês, (...)
03.09.20

No corredor da Morte...

Há a Vida...

Maresia
No corredor da monotonia, Há portas e janelas a descobrir... Que só trancam e destrancam por dentro, de ti. Por umas, podes corajosamente fugir, Que o mundo é vasto, mas de raras oportunidades. Por outras, bem...disfruta um pouco, sorri até... Ampara a tua fraqueza no parapeito, Olha profundamente o lá fora, o distante... E fica seguro de que poderias ir... Só a Morte nos pode parar... E agora, escuta-te, olha de novo, no fundo do teu corredor. Segues em frente, passo a passo até ela... (...)
23.08.20

Do nada

Um poema meu com voz de gratidão

Maresia
Que na minha imagem e voz esteja retratada a minha gratidão. Um poema meu...do nada... E que do nada, a vida faça valer a pena acreditar! 🙏💛😘 Do nada...a vida te surpreende... O mundo gira, acerta os ponteiros. Ficas sem chão, em queda livre... Acordas para a realidade. Os teus poros transpiram os teus medos, O teu peito acelera as emoções, A tua alma acende-se. É hora de tomar o pulso ao destino... A vida não é feita de enganos... Tudo são lições...abanões. Faz (...)
18.08.20

Ironia

Da meada ao enleio tecem os deuses a minha trama...

Maresia
A vida é feita de encontros e desencontros... de altos e baixos... de alegrias e tristezas... de conquistas e derrotas... e só assim, nos adoça, nos arrepia, nos faz sentir, nos faz dar valor a cada sopro, batida e piscar de olhos. Às vezes, gosto de acreditar na ideia de Mário de Carvalho, na sua fantástica A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho, e que os deuses também dormitam e sonolentos deixam enlear os fios da tapeçaria do destino e este emaranhado gera confusões, (...)
27.07.20

Sou

41 anos de mim, de pulsar, de sentir, de viver.

Maresia
Sou mais, sou menos, tudo e nada. Sou pedacinhos de doce, estilhaços de vidro. Sou eu, sou outra, do ontem e do agora. Sou a mesma das diferentes vidas que já vivi. Sou queda, sou voo, fraca e forte. Sou renda, sou armadura, mãe e mulher. Sou sol, sou lua, luz e sombra. Sou silêncio, sou riso, paz e festa. Sou menos, sou mais, nada e tudo. Sou sonhos realizados, sentimentos perdidos. Sou soma, sou subtração, ganhei e perdi. Sou o amanhã que desejo feliz e meu. Parabéns à Vida, (...)
26.07.20

Obrigado, Avós!

Maresia
Nas rugas dos avós vivem histórias e aventuras, amores e lutas, dias e dias de Vida que vale a pena abraçarmos e escutarmos com o nosso sorriso, o nosso beijo, o nosso carinho, a nossa gratidão. Avós, obrigado por nos terem trazido até aqui. Que estejamos aqui para vós até ao fim. E aos Avós da minha vida, que me trouxeram a mim de mão dada a este mundo nosso, aos que hoje levam os meus filhos pela mão para que o seu caminho seja o mais feliz possível, o meu Muito Obrigada!  
21.02.20

Na colisão com as horas

Maresia
Na colisão com as horas, O tempo empurra mágoas, Apazigua saudades. Mas relembra a finitude, A corrida dos dias Apressados, varridos... Empurrões em frente, Que nos apagam chances A cada batida do coração. Do nada, Não te prendas, Senão à tua vontade. Não te enlaces, Senão ao teu amor próprio. Não te iludas, Senão com os teus sonhos. Não te percas. Senão no teu caminho. Respira a vida a cada segundo, Aproveita com amor cada minuto, Sorri e sê grata a todas as horas.  
30.12.19

Um Novo Ano de Felicidade

O meu Caminho

Maresia
Curiosamente, termino 2019 com a publicação do centésimo post das minhas Palavras de Areia... Cem textos... desabafos, declarações de amor, recriações, contos, poemas meus... aqueles que escolhi partilhar e dar de mim e que, um dia, ficarão para além da minha existência, para os meus, para quem os quiser acolher... No silêncio da escrita imprimo os gritos da alma, a agitação do peito, as músicas da vida. No silêncio da escrita, mergulho em mim, escuto os pensamentos em (...)
03.12.19

Gostas mais do pai ou da mãe?

Gosto de gente com um Coração Gigante

Maresia
Desde que criança que me intriga perguntarem-me se gosto mais deste ou daquele, se esta pessoa é mais ou menos, se tenho este ou aquele preferido. E tal como nunca tive só e apenas uma cor preferida, uma música preferida, um filme preferido, um livro preferido, pois cada coisa tem o seu contexto, o seu momento, a sua beleza, também não tenho pessoas preferidas. São algumas as que ocupam um lugar especial e não recorro a pódios. E quando fui mãe, ainda me chocou mais, questionarem (...)
02.12.19

Em mim

Maresia
Sou infinitude. Não me descortino o fim, perco-me em mim, num templo de sonhos, pensamentos, criações arreadas. Abstraio-me do mundo. No meu não há tempo, nem horas, nem mortes. Há dias que sou medieval, de vestido, couro e escaramuça, criança levada pela mão do avô, ou abraço da semana findada reinventado. Noutros, recrio beijos para darmos amanhã, alinhavo viagens, percorro as estradas que me esperam, morro nos meus braços. Que ventos me percorrem a toda a hora... Instant (...)